9 métodos de estudo incrivelmente eficazes para profissionais de TI (o #4 parece estranho, mas funciona muito bem!)

Tempo de leitura: 11 minutos

Incluir métodos de estudo na sua rotina diária é fundamental para sobreviver na área de TI.

Em um certo ponto da carreira, muitos profissionais param de estudar. E não estou falando de faculdades e diplomas, mas do simples fato de aperfeiçoar seus conhecimentos.

Uns dizem que não tem tempo. Outros não se importam muito com isso, pois já sabem o suficiente pra garantir um salário. E tem aqueles que preferem a zona de conforto, e acham que o melhor é estudar por demanda, só quando for necessário.

Você se encaixa em um desses grupos?

Não importa qual o seu cargo, você precisa se manter atualizado. Quem não preza pelo aprendizado contínuo não consegue acompanhar as mudanças do mercado, e só percebe o quanto isso é importante depois de perder o emprego.

Neste artigo, quero te mostrar alguns métodos de estudo diferentes, que talvez você não conheça e que podem ser muito mais efetivos pra você do que ler livros ou fazer cursos.

Continue lendo, tenho certeza que depois de terminar você vai ficar com vontade de testar pelo menos um desses métodos.

Ou se preferir, utilize o player abaixo para ouvir a versão em áudio.

Método #1: Fazer ferramentas internas no trabalho

Fazer ferramentas internas no trabalho
Dependendo do sistema, só essas ferramentas dão jeito…

Ferramentas que ajudam no dia a dia da equipe são ótimos laboratórios pra aprender coisas novas. Como não têm o peso de um sistema de produção, as restrições técnicas são muito menores.

Geradores de código, extrações de dados, relatórios… pegue aquelas idéias que ficam abandonadas em post-its e backlogs e coloque em prática usando uma tecnologia que você queira aprender, mesmo que sejam versões beta ou experimentais.

Você não precisa parar tudo o que está fazendo pra se dedicar a isso, 30 minutos por dia já bastam pra fazer um bom trabalho. E a empresa tem muito a ganhar se a ferramenta for útil e inovadora.

Método #2: Pegar projetos como freelancer

Pegar projetos como freelancer
Ser pago pra aprender: é como um estagiário, mas sem sofrer bullying.

Se você acha que não é uma boa idéia dedicar um tempo no seu emprego pra fazer coisas novas, pode fazer isso como freelancer. E ainda tirar um troco por fora.

Esse método oferece duas grandes vantagens. A primeira é que você vai aprender na prática com algo real, e não com um “hello world” que ninguém vai usar. E a segunda é que o compromisso da entrega vai te ajudar a não desistir no meio do caminho, o que é muito comum.

Tem vários sites que te ajudam a encontrar as demandas, e alguns deles tem até aplicativos mobile. Segue uma lista com alguns dos mais conhecidos:

Método #3: Ensinar outras pessoas

Ensinar outras pessoas
Quem ensina aprende duas vezes.

Ensinar é uma forma muito poderosa de aprender, e poucos se dão conta disso.

Ao explicar para outra pessoa, você é obrigado a elaborar um raciocínio sobre o tema, muitas vezes mesclando técnicas de storytelling para facilitar a compreensão. Nesse processo de “montar uma história”, você começa a entender melhor alguns pontos e até descobre coisas novas.

Você pode usar esse método de 3 formas diferentes:

  • No trabalho, para ajudar na resolução de um problema ou em um workshop para a sua equipe.
  • Participando de fóruns de discussão e sites de perguntas e respostas, como o Quora ou o Stack Overflow.
  • Escrevendo artigos no LinkedIn, no seu próprio blog, ou em portais especializados, como o TI Especialistas.

Método #4: Programar em par

Programar em par
O pareamento pode gerar resultados surpreendentes.

O pair programming é uma técnica do XP que consiste em escrever código a 4 mãos, com duas pessoas no mesmo computador revezando a vez no teclado.

Embora haja uma certa polêmica sobre custo e produtividade, esse método é ótimo para aliar estudo e prática, pois os desacordos e as discussões levam a um ciclo constante de ensino e aprendizado entre os envolvidos. Além disso, o fato de observar as linhas de raciocínio de outras pessoas ajuda a melhorar a sua lógica.

Se ainda parece algo muito esquisito, experimente fazer uma sessão de pareamento em uma dessas duas situações:

  1. Na chegada de novos colaboradores à equipe. Isso vai acelerar a adaptação, e é bem melhor do que dizer “vai lendo a documentação do projeto aí”, ou “dá uma olhada no código”.
  2. Quando precisar de ajuda pra resolver um problema. O pareamento vai destravar o seu raciocínio e você vai enxergar soluções, o que é mais construtivo do que apenas perguntar pra pessoa ao lado e receber uma resposta do tipo “altera o método tal que vai funcionar”.

Método #5: Organizar um Coding Dojo no trabalho

Organizar um Coding Dojo no trabalho
Não, um Coding Dojo não é assim. Mas Tai Chi Chuan é muito bom pra sedentários.

Em uma definição bem simples, o Coding Dojo é um treino de programação em grupo: um tema é proposto pelo organizador, e os participantes se revezam no teclado pra criar uma solução coletiva.

Esse formato tem os mesmos benefícios da programação em par, mas o fato de ter vários participantes maximiza os resultados.

Você pode encontrar diversos grupos na Internet e participar de Dojos sobre os mais variados assuntos. Ou então, pode levar essa prática pro seu trabalho em duas boas oportunidades:

  1. Pra disseminar conhecimentos específicos – quando a equipe tem um único especialista em determinado assunto e ele não consegue nem tirar férias.
  2. Pra resolver problemas complexos – ao invés de fazer reuniões cansativas e discutir o quê fazer, um Dojo com situações reais do dia a dia pode ajudar a encontrar soluções melhores e em menos tempo.

Método #6: Colaborar em projetos Open Source

Colaborar em projetos Open Source
Esse mascote do GitHub é conceitualmente bizarro. Mas é bonito.

Esse método é interessante por vários motivos:

  • A lista de opções é imensa: linguagens, frameworks, compiladores, drivers, ferramentas, sistemas operacionais, projetos independentes. É só escolher o assunto que te agrada mais.
  • Mexer em coisas diferentes é fascinante. Você tem a chance de ver temas que dificilmente farão parte da sua rotina, principalmente se você trabalha em empresas que não estão diretamente ligadas a tecnologia.
  • O aprendizado é focado na prática e é guiado pela sua paixão. Não tem burocracia corporativa, e nem pressão por prazos ou orçamentos. Você faz quando quiser, no tempo que tiver disponível.
  • Projetos de uso intenso na comunidade são ótimas referências. A grande quantidade de contribuições exige que o código seja bem escrito, com um controle maior sobre patterns, engenharia de software e cultura de testes. Entendendo como isso funciona, você pode levar essas práticas pro seu trabalho.
  • É bom para o currículo. Um histórico de colaborações no GitHub é algo significativo, e pode ser um diferencial na hora de conseguir um emprego. Além disso, você pode ganhar destaque na empresa, já que conhecer os detalhes de um projeto Open Source não é muito comum no mundo corporativo.

Se você nunca se interessou pelo assunto, comece criando uma conta no GitHub e escolha um projeto pra clonar. Você vai aprender muito só com o setup básico.

Método #7: Encarar desafios de programação

Encarar desafios de programação
O desafio é nadar 1 metro sem levar uma cotovelada. Valendoooo!!

O espírito da disputa leva à evolução. Então, nada melhor do que uma competição pra aperfeiçoar seus conhecimentos, certo?

A lista abaixo contém alguns sites onde você pode escolher desafios em diferentes linguagens e áreas (análise de dados, criptografia, manipulação de strings, etc). Basta se cadastrar, ler as regras e submeter o seu algoritmo.

Muitos desses desafios são criados por empresas, e alguns tem recompensas em dinheiro para os vencedores. E se o seu trabalho se destacar do restante, podem até te oferecer um emprego.

Método #8: Ir a eventos presenciais

Ir a eventos presenciais
As palestras são legais, mas é nos happy hours que o networking acontece.

Eventos presenciais são ótimas opções pra aumentar o seu repertório, pois os assuntos abordados geralmente estão na vanguarda da tecnologia – algo que, muitas vezes, está bem distante da sua realidade no trabalho.

Mesmo que seja superficial, esse tipo de conhecimento vai abrir a sua mente. Você volta pro trabalho renovado e cheio de idéias, enxergando soluções que não conseguia ver antes.

E se você for um pouquinho cara de pau, ainda é possível aumentar o seu networking e conhecer pessoas com experiências diferentes da sua. É uma ótima oportunidade para saber como as coisas funcionam em outras empresas.

Pra saber mais sobre datas e locais dos eventos, inscreva-se nos newsletters dos grandes players do mercado, eles sempre divulgam os mais importantes. Você também pode encontrar informações em grupos do Facebook, do Slack ou seguindo palestrantes no Twitter.

E se você não tem a menor idéia por onde começar, vou deixar 4 sites de eventos bem conhecidos na comunidade. O legal é que alguns disponibilizam palestras antigas – no site mesmo, no site de parceiros, ou nas redes sociais dos palestrantes.

Método #9: Ouvir podcasts

Ouvir podcasts
Podcasts são práticos como os audiolivros. Sim, a imagem é clichê mesmo.

Podcasts são muito práticos, pois você pode escutar em situações onde não seria possível ler um livro ou assistir uma vídeo aula – no trânsito, no metrô, andando na rua, na academia… E há uma grande variedade de conteúdos na área de TI.

Eu adoro esse método, e poderia escrever um post inteiro só sobre isso. Mas é melhor mostrar na prática: no primeiro episódio do Desenvolver Mindset, o podcast do Desenvolver Idéias, eu explico porque os podcasts são incríveis. Toda semana tem episódio novo, e você pode escutar diretamente na página, ou pode assinar o feed no seu aplicativo de podcasts preferido no celular.

Além disso, segue uma lista dos podcasts que assino com o intuito de estudar (aqui você encontra mais indicações do meu feed, mas que não são relacionadas a TI). Escute alguns episódios, tenho certeza que você também vai se apaixonar pelo formato.

Concluindo…

Concluindo

Cursos e livros são ótimos pra adquirir conhecimento, mas existem muitas outras opções.

Listei aqui 9 métodos de estudo que fogem do padrão, e que estão ao alcance de qualquer pessoa. Alguns podem ser mais práticos pra sua realidade, outros podem ser mais efetivos pra forma como você aprende.

É importante manter o seu repertório atualizado, tem até um episódio do Desenvolver Mindset que fala disso. Não importa qual a idade ou o cargo que ocupa, todo profissional de TI precisa de conhecimento pra acompanhar as mudanças do mercado.

Espero que esse conteúdo tenha te ajudado. Deixe um comentário abaixo com a sua opinião, pra registrar críticas e sugestões, ou se quiser dividir algum outro método de estudo que funciona pra você. Ficarei muito grato!

E se você acha que este artigo pode ajudar mais pessoas, que tal compartilhá-lo através dos links abaixo?

  • Por e-mail (pros mais chegados ou pro pessoal do trabalho)
  • No Facebook (muita gente vai ler, com certeza)
  • No Twitter (muita gente vai ler se você for famoso)
  • No LinkedIn (seus contatos que estão procurando emprego vão ler)
  • No Google Plus (acho que ninguém vai ler… mas manda bala)

Abraço!!

 

Créditos da trilha sonora da versão em áudio:

“Dreamer”, Kevin MacLeod (incompetech.com)
“Carpe Diem”, Kevin MacLeod (incompetech.com)
Licensed under Creative Commons: By Attribution 3.0 License