DM #24 – 2 dicas pra vencer a cultura do medo

Tempo de leitura: 3 minutos

Já percebeu que muita coisa que acontece nas empresas é movida pela cultura do medo?

É bem provável que nunca tenha notado, porque todo esse medo fica camuflado no meio de um monte de outras coisas comuns pro nosso dia a dia: cobranças, estresse, trabalho excessivo…

Neste episódio do Desenvolver Mindset, eu explico mais sobre essa cultura do medo e como ela influencia negativamente o seu trabalho e a sua carreira.

E pra não ficar só falando de desgraça, também compartilho 2 dicas pra evitar que essa onda de medo prejudique você.

Depois de ouvir, deixe um comentário abaixo pra compartilhar sua opinião, ou se quiser discutir mais sobre o assunto.

Abraço!!

Principais insights desse episódio

Essa seção é uma transcrição dos insights mais importantes deste episódio, pra quem está sem tempo (ou sem saco) de ouvir tudo.

No começo do projeto você precisa dar um cronograma, aí você começa a chutar um monte de data porque não tem informação, e é onde já começam os problemas. É um joguinho de me-engana-que-eu-gosto.

Esse é o primeiro medo, o medo de não conseguir entregar o cronograma na data. E aí você sai chutando prazo, entrega de qualquer jeito.

Quando começa a análise ou o desenvolvimento já tem um monte de prazos que você sabe que não vai cumprir. E já vem o medo de não entregar o trabalho no prazo, porque a empresa já se planejou, tem um budget pra isso, não pode atrasar.

Você já começa a fazer um trabalho meia boca, porque não consegue pensar na qualidade daquilo que tá fazendo, nos objetivos que tem que cumprir, e pensa só nas datas. Sempre tem alguém com um chicotão nas suas costas: “precisa entregar, precisa entregar”.

Um monte de tralha aparece na empresa por causa disso, os famosos status reports, os relatórios de status pra dizer em que pé está o seu projeto. É outro joguinho de me-engana-que-eu-gosto, porque só reportam aquilo que querem escutar, e não o que realmente está acontecendo.

Sempre existe um medo por trás: o medo de não entregar no prazo, medo de não entregar algo de qualidade, medo de que os usuários não vão gostar e não vão usar o seu software…

Tudo o que cerca o trabalho da área de TI sofre influência da cultura do medo.

É por isso que as pessoas ficam estressadas, tem muita pressão, a gente não tem sossego pra trabalhar e acaba trabalhando mais do que deveria – mais do que poderia, inclusive.

A principal dica aqui é dizer não pra cultura do medo. Você precisa rechaçar isso do seu mindset, da sua própria cultura.

Dizer mais “não” pras coisas. Muita gente tem medo de dizer “não” pro chefe, mas você precisa olhar pra sua própria capacidade e disponibilidade e saber quando dizer “não”.

Ou então, no mínimo, saber dizer “olha, pra fazer isso que você está me pedindo, tenho que parar esta outra coisa, não posso fazer as duas coisas ao mesmo tempo”.

A cultura do medo se dissipa com transparência, quando todo mundo sabe o que tá acontecendo de fato. Outro recurso é empoderar as pessoas do time, dar poder de decisão e confiar mais pra que todos se sintam responsáveis pelas entregas.

Todos esses medos são causados pelo seu próprio medo de perder o emprego. Quando a gente entra no mercado de trabalho, aprendemos que é preciso trabalhar pra proteger o emprego.

Você não pode ter apego ao seu emprego porque, infelizmente, é algo que você não tem controle. Se você não é o dono da empresa, uma hora ela pode te mandar embora.

Ao invés de proteger o seu emprego, você precisa proteger a sua empregabilidade. Você não tem que ter medo de perder o emprego, mas tem que ter medo de perder a empregabilidade.

E como você protege a sua empregabilidade? Eu acredito que 3 pontos são fundamentais nesse sentido: ter um bom networking, manter seu repertório atualizado, e manter a mente aberta para novos inputs.